Estatinas no Combate ao Colesterol

, Hospital de Caridade 20 de abril de 2020

O colesterol alto é um dos fatores de risco para as doenças cardiovasculares, entre elas o infarto e o acidente vascular cerebral (AVC). Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo. Contudo, a maioria delas pode ser prevenida através do controle dos fatores de risco. O combate ao colesterol alto, seja pela prevenção ou uso de medicamentos, como as estatinas, é umas das formas de atuar na prevenção.

As estatinas são medicamentos utilizados no combate ao colesterol elevado e devem ser usadas com prescrição médica. Mas, antes de saber como o medicamento age no organismo e quando ele é indicado, vale conhecer um pouco mais sobre o colesterol. Você sabia que o colesterol é importante para o funcionamento do nosso corpo? É isso mesmo, nem sempre ele é um vilão. Então, vamos lá?

O que é colesterol?

Muitas vezes visto como “vilão” da saúde, o que poucas pessoas sabem é que o colesterol é fundamental para o bom funcionamento do corpo. Esta substância é um importante tipo de gordura (lipídio) produzida pelo organismo. Exerce funções essenciais, como a produção de hormônios, e atua também na formação do sistema nervoso central e dos neurônios. No entanto, é fato que, quando em excesso, é responsável por diversas doenças, principalmente as cardiovasculares.

O sangue transporta o colesterol de duas formas: o LDL (Lipoproteínas de Baixa Densidade) e o HDL (Lipoproteínas de Alta Densidade). O LDL é responsável por conduzir o colesterol produzido pelo fígado para as células. Ele é conhecimento como o “mau colesterol” porque, quando em excesso, é capaz de se acumular nas artérias e causar obstrução, impedindo a passagem do sangue.

Conhecido como o colesterol bom, o HDL age tirando o excesso de colesterol ruim das artérias, impedindo o acúmulo e a formação de placas, e levando-o de volta para o fígado. Por isso, seu índice deve ser mantido nos níveis ideias para que atue corretamente.

Apesar de serem responsáveis pelo transporte do colesterol, que é um tipo de gordura, essas lipoproteínas, LDL e HDL, são popularmente conhecidas como tipos de colesterol, ruim e bom, respectivamente.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia são considerados níveis normais de colesterol em adultos acima de 20 anos: 

  • Colesterol total: menor que 200 mg/dl
  •  LDL (colesterol ruim): menor que 100 mg/dl
  •  HDL (colesterol bom): maior que 60 mg/dl

Quando o colesterol é preocupante?

A causa mais comum para elevação do colesterol ruim, o LDL, é o consumo excessivo de gordura saturada e gordura trans. Nos adultos, esse aumento está associado à obesidade, às más escolhas alimentares e à falta de atividade física regular. No entanto, fatores genéticos podem contribuir com as alterações no colesterol.

Como vimos, o colesterol é um dos principais fatores desencadeantes de doença cardiovascular aterosclerótica, caracterizada pela formação de placas de gordura nas artérias. O acúmulo de gordura pode impedir a passagem do fluxo sanguíneo, causando infarto e acidente vascular cerebral (AVC). 

No entanto, a elevação do colesterol pode ser assintomática. Por isso, monitorar os níveis de colesterol é muito importante.

Uso das Estatinas no Combate ao Colesterol

As estatinas são os medicamentos utilizados para reduzir os níveis de colesterol no sangue, principalmente o LDL. Segundo o médico cardiologista Dr. Douglas Muniz (CRM 19106 RQE 16184), “as estatinas, de maneira geral, atuam reduzindo o colesterol LDL, o colesterol total e os triglicerídeos. Essa combinação faz com que os vasos sanguíneos sejam menos afetados pelo colesterol, diminuindo o número de complicações como acidente vascular encefálico ou infarto agudo do miocárdio”.

Assim, as estatinas retardam a progressão das lesões já existentes causadas pelo aumento colesterol e da glicose no sangue. Além disso, evitam o surgimento de novas lesões. 

A função principal das estatinas é reduzir o colesterol, principalmente o LDL. Mas o medicamento acaba atuando também sobre o HDL, que é o bom colesterol. 

“Os estudos sugerem que as estatinas baixam os níveis de LDL entre 18% e 30% e de triglicerídeos de 7% e 30%. Além disso, que proporcionam um aumento muito discreto no HDL, em torno de 10%. Logicamente, esses números variam de paciente para paciente.” – Dr. Douglas Muniz (CRM 19106 RQE 16184), cardiologista do Imperial Hospital de Caridade, em Florianópolis/SC.

Quando é indicado o uso de estatinas para o colesterol?

Como todo medicamento, o uso das estatinas no combate ao colesterol só pode ser prescrito pelo médico, que irá avaliar a necessidade e as condições de saúde do paciente.

Assim, antes de iniciar o tratamento, o paciente deve passar por uma avaliação médica que inclui a realização de exames laboratoriais. 

“Se o médico achar que existe a indicação de uso da estatina no combate ao colesterol, e não havendo contra indicações, o medicamento é prescrito com a orientação de utilização e dosagem ideal para o paciente.” – Dr. Douglas Muniz (CRM 19106 RQE 16184), cardiologista do Hospital de Caridade, em Florianópolis/SC.

Tipos de Estatinas 

Existem diversos tipos de estatinas. Algumas têm origem natural, enquanto outras são de origem sintética e, ainda, semi-sintéticas. São elas: 

  • lovastatina e pravastatina, ambas de origem natural 
  • sinvastatina, de origem semi-sintética
  • rosuvastatina, atorvastatina e fluvastatina, de origem sintética. 

A diferença entre os tipos de estatina está no material com a qual são feitas. No entanto, todas são parecidas nos seus efeitos no combate ao colesterol. A escolha pelo tipo de estatina para cada paciente é feita pelo médico.

Efeitos Colaterais das Estatinas

Geralmente, as estatinas costumam ser bem toleradas, mas podem causar efeitos colaterais leves. Entre os principais, estão: 

  • dores musculares
  • alteração nos resultados dos exames da função do fígado
  • alterações neurológicas
  • dor abdominal
  • gases em excesso
  • má digestão
  • coceira 
  • perda de cabelo

Contraindicações das Estatinas

Em alguns casos, o uso das estatinas pode ser contraindicado. Por isso, a avaliação médica é tão importante. Entre as principais contraindicações para o uso das estatinas estão:

  • Alergia aos componentes
  • Doença do fígado
  • Gravidez e lactação
  • Uso em conjunto com alguns medicamentos específicos

Assim, é importante que o paciente comunique ao médico essas condições para evitar problemas com o uso do medicamento.  

Prevenção: melhor forma de combate ao colesterol alto

Adotar um hábito de vida saudável é a melhor forma de prevenir as doenças e suas complicações. Neste contexto, o combate ao colesterol alto é importante para manutenção da saúde.

É possível diminuir os níveis de colesterol ruim, LDL, e aumentar o bom, HDL, com a adoção de hábitos saudáveis. Por isso, antes de iniciar o tratamento com as estatinas, o paciente deve, junto com o médico, avaliar seu estilo de vida e fazer as mudanças para controlar os níveis de colesterol.

“Esse é o ponto mais importante de toda a discussão. As estatinas somente são introduzidas quando o paciente não consegue melhorar seus níveis de colesterol com medidas não farmacológicas”, explica Dr. Douglas. 

Entre as atitudes que auxiliam no controle do colesterol, estão:

  • A realização de exercício físico por, no mínimo, 30 minutos e três vezes na semana;
  • Diminuir a ingestão de carboidratos, reduzindo a um por refeição;
  • Diminuir o consumo de pão e farinhas brancas;
  • Manter o peso adequado em relação à altura;
  • Ingerir bastante água.

Essas medidas são capazes de auxiliar no combate ao colesterol ruim. Da mesma forma, auxiliam a aumentar os níveis do colesterol bom. Assim, repense seus hábitos. Adote um estilo de vida saudável para ficar com a saúde em dia e longe das doenças. Se precisar de ajuda, conte com os profissionais do Imperial Hospital de Caridade, em Florianópolis/SC.


As informações em nosso site têm caráter meramente informativo e não substituem as orientações do seu médico. | Termos de Uso | Política de Privacidade
© 2019 - Todos os direitos reservados ao Imperial Hospital de Caridade | Desenvolvido por Santé Consulting. | Última atualização do site: 30/04/2020