Nódulo na Tireoide: principais dúvidas sobre a cirurgia

, Hospital de Caridade 20 de abril de 2020

A tireoide é uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, responsável por regular a função de órgãos como coração, cérebro, fígado e os rins. Com formato que se assemelha a uma borboleta, a glândula tireoide produz os hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), que garantem o equilíbrio do organismo. Do contrário, pode trazer problemas à saúde. O aparecimento de um nódulo na tireoide é um deles e que pode, muitas vezes, precisar de cirurgia para ser retirado.

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a formação de nódulo na tireoide que não apresentam sintomas é um dos problemas mais frequentes na glândula. Estima-se que 60% da população brasileira seja acometida com nódulos na tireoide em algum momento da vida. A alta incidência, não quer dizer que todos são malignos, apenas 5% são cancerosos.

As mulheres são suscetíveis ao surgimento de nódulo na tireoide por conta dos fatores hormonais e genéticos. Os homens possuem três vezes menos chances de desenvolver nódulos na tireoide. No entanto, entre eles a incidência de câncer é maior.

Como identificar nódulos na tireoide?

A maioria dos nódulos na tireoide são assintomáticos. Porém, a descoberta precoce pode ser fundamental para evitar complicações. O nódulo pode ser percebido pela palpação da tireoide. Essa percepção pode ser feita pelo próprio paciente, que deve procurar um endocrinologista ao percebê-lo, ou pelo médico durante uma consulta.

Entretanto, nódulos com menos de 1 cm são difíceis de serem diagnosticados. Geralmente, são identificados apenas em exames como Doppler de Carótida ou Tomografias, utilizados durante a investigação de diversas doenças.

Com a identificação do nódulo, o médico poderá solicitar exames complementares para avaliar o tipo e a sua gravidade. Neste contexto, exames laboratoriais e de imagens são comumente solicitados. É possível também, que o médico solicite a punção do nódulo na tireoide. Este procedimento é importante para avaliar a gravidade e identificar se o nódulo é benigno ou maligno.

Quando o nódulo na tireoide precisa ser retirado?

Com o diagnóstico em mãos, é possível iniciar o tratamento. Por meio do exame de imagem, o médico é capaz de visualizar características como tamanho, condição das margens, densidade em relação ao tecido normal e se existe calcificação. Assim, a necessidade de cirurgia vai ser avaliada pelo médico com base no resultado dos exames.

Tanto nódulos benignos quanto malignos podem necessitar de cirurgia. Apesar de a maioria dos casos ser de nódulo benignos, o tamanho pode incomodar bastante. O desconforto estético e a dificuldade de ingerir alimentos podem comprometer a qualidade de vida do paciente. Nesse casos, a cirurgia de tireoide é indicada, mesmo o nódulo sendo benigno.

Dentre os tipos de câncer de cabeça e pescoço, o câncer da tireoide é mais comum. De acordo com Dr. Acklei Viana (CRM 11656 / RQE 11538), especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital de Caridade, em Florianópolis/SC, o tratamento inicial para o câncer de tireoide é cirúrgico.

“A cirurgia da tireoide visa garantir que todas as células doentes sejam removidas. Para isso, pode ser necessário retirar toda a glândula tireoide (tireoidectomia total) ou uma parte dela (tireoidectomia parcial).” – Dr. Acklei Viana (CRM 11656 / RQE 11538), especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

A cirurgia de retirada de nódulo da tireoide tem riscos?

Como todo procedimento cirúrgico, a cirurgia de tireoide pode trazer riscos ao paciente. No entanto, os riscos são pequenos. 

As reações temporárias mais comuns após a cirurgia de tireoide são: dor na garganta, alteração na voz, como rouquidão, por exemplo, e redução dos níveis de cálcio no sangue. No entanto, costumam ser passageiras e o paciente logo retoma sua vida normal. As recomendações pós-operatórias também contribuem para o sucesso da recuperação.

“Na primeira semana de pós-operatório da cirurgia da tireoide, é recomendado evitar esforços físicos, movimentações intensas do pescoço e dirigir. Em geral, na segunda semana, já é possível retomar trabalho e estudos. Contudo, a atividade física e esforços intensos são liberados a partir de 15 a 30 dias após a cirurgia da tireoide. Vale lembrar que sempre de acordo com avaliação do médico que acompanha o paciente”, conclui Dr. Acklei Viana (CRM 11656 / RQE 11538).

Como vimos, apesar de bastante comuns, os nódulos na tireoide demandam avaliação médica para definição da necessidade de tratamento, bem como da melhor conduta a ser tomada. Estar atento e perceber as alterações no corpo, no caso do aparecimento de nódulos, é um cuidado que todos podem fazer por si mesmos. Ao sinal de qualquer alteração, busque orientação médica. 

As informações em nosso site têm caráter meramente informativo e não substituem as orientações do seu médico. | Termos de Uso | Política de Privacidade
© 2019 - Todos os direitos reservados ao Imperial Hospital de Caridade | Desenvolvido por Santé Consulting. | Última atualização do site: 30/04/2020